Há cidadãos à espera de um médico de família, Sr. Ministro

Em Lisboa existem 684.330 cidadãos sem médico de família atribuído, segundo os dados oficiais registados e acessíveis no Portal do SNS. Enquanto isto, mais de 100 médicos de família aguardam pelo concurso de entrada na carreira. Este número de médicos é suficiente para, só em Lisboa, serem satisfeitas um quarto das necessidades actuais em médicos de família na região.

Entende o Ministério da Saúde e o seu parceiro, o Ministério das Finanças, que não existe premência em dotar o Serviço Nacional de Saúde dos recursos para o cumprimento das suas obrigações. Esta postura revela um desprezo e uma negligência cívica inqualificável.

De facto, diversos estudos têm demonstrado que é nas populações mais vulneráveis (em termos de saúde e em termos sociais) que existe uma maior proporção de utentes sem médicos de família, agravando assim os determinantes de vulnerabilidade e a iniquidade no acesso a cuidados de saúde.

É assim um imperativo ético, social e político que se promova, de imediato, a abertura de concursos para os centros de saúde.

© 2018 FNAM - Federação Nacional dos Médicos