. FNAM - ACES Almada-Seixal obriga as unidades a violar circuitos para utentes COVID-19

ACES Almada-Seixal obriga as unidades a violar circuitos para utentes COVID-19

Utentes dos centros de saúde de Almada e do Seixal partilham zonas comuns com utentes suspeitos de COVID-19

O Sindicato dos Médicos da Zona Sul (SMZS) tomou conhecimento que a Direção do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Almada-Seixal determinou o encerramento da Área Dedicada a Doentes Respiratórios (ADR), que funcionava em instalações independente, cedidas pela autarquia do Seixal, com base no argumento de um «reduzido número de novos casos de COVID-19».

Assim, os utentes com sintomas respiratórios passaram a ser observados nas respetivas Unidades de Saúde Familiar e de Cuidados de Saúde Primários, violando a norma 004/2020 da DGS quanto à necessidade de circuitos exclusivos para utentes respiratórios.

Tem chegado ao nosso conhecimento que, em várias unidades, os utentes respiratórios aguardam observação no mesmo espaço que utentes não respiratórios, além de não existirm áreas de receção, áreas de espera, salas de observação, áreas de tratamentos e instalações sanitárias exclusivas para estes utentes com sintomas respiratórios. Inclusive, numa unidade de Almada, os utentes respiratórios sobem e descem no mesmo elevador que crianças, grávidas ou outros utentes não suspeitos de COVID-19.

Numa altura em que os números de novos casos têm vindo a agravar-se, o SMZS considera incompreensível que seja posta em causa a segurança dos utentes e profissionais, apelando à tutela para que atue de forma imediata com vista à reposição das boas práticas.

A Direção do SMZS

Centro Saude

© 2020 FNAM - Federação Nacional dos Médicos